terça-feira, 24 de agosto de 2010

AS COMISSÕES INTRA HOSPITALARES DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES: UM NOVO CAMPO PARA O EXERCICIO PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL

A inserção dos Assistentes Sociais no processo de doação, captação e transplantes de órgãos na Bahia, tem apresentado resultados expressivos, esse processo é resultado do reconhecimento social da profissão e por um conjunto de necessidades que se definem a partir da Política local de transplantes. A atuação do Serviço Social na Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes do Hospital Geral Roberto Santos, tem como eixo central a Educação e Saúde através da promoção de ações de educação continuada junto aos diversos grupos de usuários, familiares e profissionais da unidade. Este trabalho tem por objetivo apresentar considerações introdutórias a respeito da inserção do Assistente Social no Processo de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes, mediante um relato de experiência das ações desenvolvidas pelo Serviço Social, na CIHDOTT/HGRS, especificamente na coordenação do programa de educação continuada desta comissão. É um estudo descritivo de um relato de experiência da Assistente social no processo de doação de órgãos e tecidos para transplantes na CIHDOTT/HGRS, especificamente na coordenação do programa de Educação Continuada desta comissão, no período compreendido entre julho 2008 a julho de 2010. As principais dificuldades encontradas durante o exercício profissional estão relacionadas a precariedade do sistema de saúde, a desqualificação do cuidado, ao elevado número de recusas, ao descrédito e ao desconhecimento da questão pelos profissionais de saúde, ao desconhecimento da família e da equipe sobre o conceito de morte encefálica, a carga horária insuficiente para o desenvolvimento das ações e a falta de produção cientifica na área de serviço social e doação de órgãos. Para enfrentar essas dificuldades desenvolvemos algumas estratégias de enfrentamento tais como: o alinhamento com a política local de transplantes, a definição do papel do Assistente Social na CIHDOTT, a elaboração e implantação de um programa de educação em saúde, a identificação de demandas para o serviço, a identificação e formação de parcerias, a visibilidade das ações da CIHDOTT entre os diversos grupos de saúde do HGRS, abertura de campo de estágio na área de Serviço Social e formulação das bases para outras categorias profissionais, treinamento/sensibilização com os diversos grupos do HGRS, articulação com instituições e projetos que atuam na área, a implementação de ações com vistas a melhorar a qualidade da assistência ao potencial doador e a sua família. As Comissões Intra Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes se constituem como um novo campo do exercício profissional, onde as ações desenvolvidas se forem pautadas na garantia dos direitos dos usuários do SUS e nos princípios da Reforma Sanitária, podem contribuir diretamente para a causa do Transplante.